domingo, 9 de janeiro de 2011

Uma Mulher a frente de sua época

Émilie du Châtelet


Imagine uma mulher em 1737 publicar um ensaio sobre pesquisas científicas que faziam alusão ao que hoje conhecemos com o nome de radiação infravermelho e a natureza da Luz.
Publicou um livro, Institutions de Physique, em 1740, aonde incorporou as teorias de Gottfried Leibniz e as observações práticas de Willem's Gravesande, um renomado filósofo e matemático neerlandês, para mostrar que a energia cinética de um objeto em movimento é proporcional à sua massa e ao quadrado de sua velocidade (E ~ mv²), e não diretamente proporcional como acreditava previamente Isaac Newton, Voltaire e outros.
Quando Albert Einstein elaborou a sua famosa equação demonstrando que materia é energia E = mc² (onde c representa a velocidade da luz), isso encaixou-se perfeitamente com um princípio reconhecido cento e cinqüenta anos antes.
Em 1749, ano em que faleceu, du Châtelet completou uma obra que é tida como o auge de suas realizações no campo científico: a sua tradução ao idioma francês, com seus próprios comentários, da celebrada Principia Mathematica. de Newton, inclusive a sua noção de conservação de energia que ela obteve dos princípios de mecânica contidos na obra por ela traduzida.

Ela recebeu uma educação excelente para a sua época e ao completar seus doze anos ela já tinha se tornado fluente em Latim, italiano, grego e alemão.

Ela foi educada em matemática, literatura e ciência. Ela também apreciava muito a dança, alcançou um nível bom como cravista, cantava em peças de ópera, e era uma atriz amadora.

Vejam a importância da educação, da cultura, que fez essa mulher notável se destacar numa época machista.
Quantas Emilies devem existir no mundo atualmente, esperando apenas uma oportunidade de estudar para se destacarem e poder fazer desse mundo um lugar melhor.


http://pt.wikipedia.org/
http://www.visitvoltaire.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário